O que mudou nas redes sociais em 2020

O que mudou nas redes sociais em 2020?

Não é novidade para ninguém que o ano 2020 foi um ano desafiante e de mudança para todos nós e para tudo à nossa volta. As redes sociais não foram exceção!

A pandemia veio trazer ao de cima a nossa capacidade de resiliência, versatilidade e adaptação, não só no prisma pessoal, mas também no que se refere aos nossos negócios e como os gerimos em tempos de adversidade.

Nas redes sociais foram muitas as mudanças significativas com que nos deparamos ao longo do ano, não só em termos estruturais, mas especialmente no que toca à forma como comunicamos e com quem comunicamos nessas plataformas.

Deixo-te aqui algumas das alterações que mais se fizeram notar ao longo deste ano, nas redes sociais.

Afinal, o que mudou nas redes sociais em 2020?

As redes sociais tornaram-se na principal fonte de notícias

Nunca antes as pessoas se tinham dirigido às redes sociais em primeiro lugar para estarem a par das notícias do mundo, mas este ano foi assim.

As notícias e recomendações relacionadas com a pandemia circulavam nas redes sociais a uma velocidade estonteante e expressavam-se transversalmente ao mundo inteiro. Era muito rápido conseguir perceber como estavam os outros países do mundo fazendo um simples scroll no nosso feed de Instagram, por exemplo.

Os consumidores digitais estão a usar as redes sociais para entretenimento mais do que antes da pandemia

Fechadas em casa obrigatoriamente, as pessoas viram-se obrigadas a explorar diferentes ferramentas de entretenimento. E o que melhor do que aquilo que mais tinham à mão diariamente: as redes sociais?

Com isto, o consumo de entretenimento em plataformas como o Instagram e o novíssimo Tik Tok explodiu durante a quarentena e a tendência manteve-se mesmo após o confinamento global.

Os Reels do Instagram vieram aumentar a autoridade da plataforma na área do entretenimento.

Os consumidores mais velhos estão a usar mais as redes sociais, os serviços de mensagens e apps devido ao surto

O distanciamento social veio afastar famílias e veio igualmente aumentar a necessidade de as mesmas se manterem conectadas. Daí o público de faixas etárias que antes não tinham tanta presença nas redes sociais ter aumentado.

Pessoas mais velhas que consumiam apenas no Facebook, começaram a consumir mais conteúdo no Instagram, que foi o centro das redes sociais durante este ano.

O consumo de conteúdos em livestream disparou

O isolamento veio mostrar a necessidade de contactos em live entre amigos, familiares e conhecidos. Um vídeo apenas já não chega, o conforto da presença em direto não consegue ser colmatado apenas com um vídeo pré-gravado.

Concertos em live no Instagram, eventos online igualmente em livestream, reuniões, entre outros – este ano o conteúdo em livestream atingiu outro nível e não parece que isso vá mudar em breve.

É importante para o teu negócio que utilizes as funções live das tuas redes sociais para aumentar a proximidade e confiança com os teus seguidores. Não substitui um toque ou um “passa bem”, mas dá o alento que um vídeo apenas não dará.

Os anúncios nas redes sociais têm aproximado os consumidores das marcas durante a pandemia, mas fechar vendas continua a ser um desafio

Cada vez mais é pertinente para os negócios apostarem em anúncios nas redes sociais. Podes segmentar os anúncios para o teu público-alvo e fazer a tua marca chegar, com muita mais facilidade, a possíveis clientes.

Apesar do aumento da utilização dos anúncios, ainda é necessário saltar sempre fora das redes sociais para finalizar a compra. Imaginamos que isto seja algo que poderá ser diferente em 2021, mas teremos de esperar para ver.

Conclusão

As redes sociais permitem-te ser social quando não podes socializar. Foi o esclarecimento que este ano nos veio dar, quanto à utilização das redes sociais que estará, com toda a certeza, de vento em popa ao longo do próximo ano.