Porque passei da WIX para Wordpress?

Porque passei da WIX para WordPress?

Como deves ter percebido, acabei de lançar o meu novo website. Criei-o inicialmente sozinha, em WIX, em Fevereiro/Março porque queria mesmo começar a comunicar melhor o meu negócio de Consultoria. Ainda não tinha recursos para contratar um webdesigner, e muito menos tinha tempo e paciência para aprender a mexer com o WordPress.

Pus mãos à obra e lá comecei a investigar. Entre a Amen.pt e o Wix, decidi avançar pelo WIX porque já tinha criado um site na Amen.pt que até correu bastante bem. Contudo, como Consultora de Bloggers, achei que devia experimentar o máximo de plataformas possível e decidi dar uma oportunidade à WIX.

E sabes uma coisa? Adorei!

Eu sei que os especialistas em WordPress dizem que só se deve ter um website em WordPress e que tudo o resto, especialmente a WIX, é completamente amador. Mas, cá entre nós, que eu não sou de fanatismos, o WIX tem várias características que o tornam uma escolha muito interessante, nomeadamente:

  • Qualquer pessoa consegue criar o seu próprio website, de tão fácil que é manusea-lo. À primeira, consegui criar o meu site sem grandes chatices, seguindo as indicações da WIX que até me sugeriu um template adequado ao meu tipo de negócio e que eu apenas tive de adaptar. Foi mesmo MUITO fácil.
  • Permite optimizar para os motores de busca. Passados 2 ou 3 meses, já tinha tráfego do Google, o que significa que a optimização que fiz no Backoffice do WIX realmente funciona.
  • Tem um valor relativamente acessível, sobretudo quando comparando com valores cobrados por grandes webdesigners (no meu caso, cheguei a receber orçamentos de mais de 4.000 euros de empresas cujos trabalhos realmente AMEI e a quem reconheço o total profissionalismo, mas que infelizmente não tinha orçamento para avançar).

Porque passei da WIX para WordPress?

Mas se estava assim tão satisfeita, porque é que decidi passar de WIX para WordPress, perguntas tu. E perguntas bem!

A verdade é que trabalho com WordPress no meu blog pessoal há vários anos, e estou perfeitamente adaptada ao método de trabalho do WordPress no que diz respeito à criação de artigos e optimização dos mesmos para SEO.

Por outro lado, queria fazer uma automatização dos meus produtos digitais (os ebooks, planners e calendários), com métodos de pagamento que fossem comuns em Portugal tal como a referência multibanco e o MBWAY, algo que não consegui encontrar na WIX.

Também percebi que ia conseguir ter um resultado mais profissional com o WordPress e que integrasse os vários plugins que vão facilitar o meu trabalho, incluindo um sistema de facturação automático para cada venda que fizer.

Sabia que, mais cedo ou mais tarde, teria de dar o passo da migração da WIX para o WordPress e felizmente reuniram-se as condições para o fazer ainda este ano.

Estou radiante com o resultado final, que exigiu muitas horas de dedicação. O processo foi demorado e ando a pensá-lo há mais de dois meses, seguindo esta ordem de trabalhos:

  • Analisar o mercado e perceber quais as features que os sites de outros Consultores costumam ter
  • Decidir quais as ferramentas que queria ter no meu site
  • Decidir quais as páginas e subpáginas que queria para o meu blog
  • Criar um modelo do design / esquema que queria para o meu site (homepage, página de serviços, página de cada serviço, página de produtos, página de cada produto, blog, contactos e sobre)
  • Encontrar profissionais em Portugal que fizessem este serviço e pedir orçamentos
  • Analisar orçamentos e decidir pelo que considerei mais adequado para mim, tendo acabado por entregar o trabalho a um amigo com quem trabalho directamente a nível profissional
  • Comprar um alojamento
  • Aguardar que o webdesigner começasse a pôr mãos à obra para começar a solicitar os ajustes
  • Criar/adaptar os textos para as novas páginas
  • Rever todas as páginas e tratar do SEO de cada uma delas
  • Testar todos os formulários
  • Testar os produtos para compra

E, literalmente, foi sofrer até ao último minuto porque há sempre atrasos, há sempre imprevistos mas, felizmente, o site está online e a funcionar correctamente!

Há sempre espaço para alguns ajustes, algo que pretendo fazer ao longo dos próximos tempos, mas agora muito mais desafogada, feliz e motivada pelo facto de, finalmente, ter um website à minha medida e com a automação que tanto queria!

Conclusão

Se tivesse adiado, em Fevereiro/Março, o meu objectivo de lançar o site, provavelmente nunca teria vendido como vendi, uma vez que o meu website tem sido um portal de entrada para muitos clientes, que podem conferir os testemunhos, conhecer melhor o meu percurso e os meus serviços. No fundo, é viver à luz da máxima “feito é melhor que perfeito” e teria perdido 10 meses de negócio se continuasse a adiar.

No entanto, estagnar não é solução para mim. Não sou o tipo de profissional que passa a vida a mudar o branding, o nome do negócio e o tipo de serviços. Gosto de manter a coerência. Mas se eu própria vou evoluindo como pessoa e profissional, gosto que o meu negócio vá acompanhando esta evolução e sinto necessidade de ir fazendo upgrades que vão cada vez mais ao encontro do meu público.

Se estás na dúvida entre passar da WIX para WordPress, tens aqui o meu exemplo real deste processo – de como tudo começou e do porquê desta alteração.

Analisa o que faz sentido para ti e dá o passo em frente. Seja qual for a opção, muitas vezes as consequências de continuares a adiar são piores do que se lançares algo que não está absolutamente perfeito aos teus olhos (porque, honestamente, nunca estará porque irás querer sempre mais e melhor 😉 )

Comentar